Home / Esporte / “Vila Nova não pode bater na trave” diz Diego Jussani ao avaliar contratação de zagueiro
Foto: Douglas Monteiro

“Vila Nova não pode bater na trave” diz Diego Jussani ao avaliar contratação de zagueiro

Com a pausa para a Copa América, o Vila Nova terminou na 12ª colocação com 10 pontos conquistados. Com oito rodadas, a equipe colorada conquistou duas vitórias, quatro empates e duas derrotas. No início da temporada, o Tigrão não começou agradando e também foi eliminado da Copa do Brasil.

Nos últimos dois anos, o Vila Nova vem batendo na trave em relação ao acesso para Série A. Em 2017, o colorado terminou na 7ª colocação, com 58 pontos conquistados e 50% de aproveitamento. Já em 2018, foram 57 pontos e também ficou na 7ª colocação. O zagueiro Jussani não estava nestas campanhas, mas acompanhou o colorado.

“São dois anos batendo na trave. São dois anos fazendo campanhas que eu acho que a torcida não imaginava essas campanhas boas. Foram consolidadas, mas não chegaram em um êxodo. Então, quando se vai para o terceiro ano e se tem um elenco do jeito que se montou, traz jogadores experientes que já tiveram passagem pela série B, a torcida teve um desanimo que foi a questão da eliminação, mas já superou. Agora temos que retomar a nossa confiança. Nós conseguimos no final dessa parada trazer a confiança e o torcedor do nosso lado. Por mais que seja sofrido, espero que esse sofrimento seja orgulhoso. Nós sabemos que estamos nos dedicando e se entregando. O resultado está aparecendo, então isso que é o mais importante. Nós temos que pensar em jogo após jogo”, afirma.

Com esta pausa, o Vila Nova já foi no mercado em busca de outro defensor. Patrick Marcelino foi anunciado como novo reforço. Por outro lado, o zagueiro Philippe Maia foi dispensado pelo clube.

“Todos os clubes que joguei na minha carreira sempre teve dois ou três jogador de cada posição. Isso porque são 38 rodadas e agora temos sete jogos em vinte e um dias. É jogo atrás de jogo. Nós sabemos que os onze jogadores que começam os jogos do Atlético, não vai ser os mesmo onze que vão terminar lá contra o Brasil de Pelotas no sétimo jogo. Nós sabemos que ele tem que está preparado. Temos eu, Wesley e o Patrick. Ali atrás não estamos sofrendo muito. Eu não estou saindo esgotado de campo como saia antes. Estamos ficando mais com a bola no pé e controlando o jogo. Sempre tem que ter dois jogadores para cada posição”, finaliza.

Fonte. Sagres Online / LUARA ARIEL

Deixe sua opinião

x

Veja também

Galo vence a sua primeira partida contra o Vila Nova

O Goiânia conseguiu sua primeira vitória no Campeonato Goiano em uma virada pra cima do ...

%d blogueiros gostam disto: