Home / Mundo / Brasil / Cidades / Vereadores questionam empresa responsável pelo saneamento de Aparecida de Goiânia
“Nossa preocupação sobre o tipo de cano utilizado é que ele não suporte a demanda quando a rede de esgoto estiver completa", vereador Arnaldo leite (MDB).

Vereadores questionam empresa responsável pelo saneamento de Aparecida de Goiânia

Por convocação da mesa diretora da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, representantes da BRK Ambiental, subdelegada da SANEAGO para prestar serviços de saneamento em Aparecida de Goiânia, prestaram contas aos vereadores, durante sessão desta terça-feira, 04.

O vereador Fábio Ideal (PSC), que presidiu a sessão, abriu os trabalhos falando das dificuldades enfrentadas por conta das consequências das obras realizadas pela BRK.

“Diariamente somos procurados pela população e não temos algum tipo de referência para passar. Eles nos cobram e, imbuídos de nossa função que também é fiscalizatória, temos que dar satisfações. De tal forma, essa prestação de contas é fundamental”, afirmou o presidente em exercício.

“Nossa expectativa com essa sessão é a de encontrar soluções às demandas da população”, completou Fábio Ideal.

Em seguida, os vereadores fizeram diversos questionamentos aos representantes da empresa. Como o vereador Arnaldo leite (MDB) que abordou três temas, que viriam a ser comuns a maioria dos demais parlamentares: a falta de rede de esgotos em algumas residências, como no Mansões Paraíso, o reparo dos cortes do pavimento e calçadas, após realização de obras pela empresa, e a espessura dos canos utilizados nas redes.

“Nossa preocupação sobre o tipo de cano utilizado é que ele não suporte a demanda quando a rede de esgoto estiver completa. Outro ponto que tem trazido muitos transtornos, é o grande número de buracos devido a falta de reparos, já que é  responsabilidade da empresa arrumar aquilo que causou após a inalação da rede de saneamento”, questionou o vereador.

Nesse sentido, os vereadores Ataídes Neguinho (PSDB) e Edinho (PSDC) reclamaram da demora em se fazer os reparos.

“Segundo foi me informado pela Secretaria de Infraestrutura, a BRK devia fazer os reparos nas calçadas e pavimentos em 5 a 10 dias, mas tem lugares que já se passaram mais de 60. É um desrespeito com o cidadão da nossa cidade”, denunciou Ataídes.

Sobre prazos, William Panda (PCdoB) lembrou que foi aprovado um requerimento de sua autoria que exige que as empresas que realizem serviço de saneamento leve, no máximo, 15 dias para recuperar os danos decorrentes de seus trabalhos.

Antes de adentrar especificamente nos questionamentos apontados pelos vereadores, o Diretor de Engenharia da BRK Ambiental, Rodrigo Lacerda, informou que só no ano de 2018 foram investidos mais de 98 milhões em Aparecida de Goiânia e que, até o final do contrato, ainda serão alocados cerca de 370 milhões, com o objetivo de concluir a universalização do saneamento.

“Sobre o diâmetro dos canos, é uma condição técnica, praticada pela própria SANEAGO, e asseguro que é devidamente dimensionados para suportar a demanda”, garantiu o diretor ao começar as responder sobre as dúvidas dos vereadores.

Já em relação aos transtornos acarretados por conta das obras, Rodrigo explicou que a preferência é por fazê-las nas calçadas, diminuindo os prejuízos.

“Pro contrato, a preferência é por realizar as intervenções nas calçadas mas, invariavelmente, por diversos obstáculos, é necessário que sejam feitas no asfalto. Entretanto, nos próximos meses serão disponibilizados mais equipes para tratarem exclusivamente dos reparos”, garantiu Rodrigo Lacerda.

Por fim, o vereador Isaac Martins (PR) sugeriu que  se formalize uma comissão, formada por parlamentares e representantes da empresa, com intuito de acompanhar, junto ao Governo do Estado e a SANEAGO, as questões relativas ao saneamento.

Outros transtornos pontuais

Durante a sabatina, o vereador João Santana (PRP) perguntou se as residências do Papillon Park podem ou não fazer o ligamento da rede de esgoto, uma vez que nem todas receberam o comunicado enviado pela empresa que tratava sobre a questão.

Em resposta, Rodrigo Lacerda explicou que, atualmente, o bairro está entre os que já estão liberados pra fazerem as ligações.

“Se em algum caso específico a rede ainda não pôde ser conectada, é necessário que entre em contato com a empresa pra analisar, especificamente, o caso. Mas o bairro está, de fato, dentro do cronograma dos que já estão liberados”, explicou.

Um dos representantes do Grande Garavelo, o vereador Gleison Flávio (MDB) usou sua fala pra indagar sobre previsão de início dos trabalhos de instalação da rede de esgoto em diversas ruas do bairro.

“Como houve uma separação dos contratos, a região do Garavelo será contemplada nos próximos dias, possivelmente já no início de janeiro”, respondeu Lacerda.

 

 

Departamento de Comunicação

Donizete santos

Deixe sua opinião

x

Veja também

Mais de 500 escrituras de imóveis são entregues para famílias de Aparecida

Para que a população tenha melhores condições de vida e a garantia de posse da ...

%d blogueiros gostam disto: