Home / Mundo / Brasil / Goiás / “Teremos a maior linha férrea capaz de democratizar a comercialização dos nossos produtos”, diz Caiado sobre a Norte-Sul

“Teremos a maior linha férrea capaz de democratizar a comercialização dos nossos produtos”, diz Caiado sobre a Norte-Sul

A expectativa é de que o novo modal alavanque a economia e reduza os custos dos produtores rurais

“A Ferrovia Norte-Sul levará a facilidade do transporte para todos os produtores rurais, que nós sabemos o quanto estão isolados naquela região”, afirmou o governador Ronaldo Caiado em solenidade de assinatura do contrato de concessão da Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis, na última quarta-feira, dia 31.

Presidente da República, Jair Bolsonaro e governador de Goiás, Ronaldo Caiado. Foto. Divulgação.

O evento integrou as comemorações do aniversário de 112 anos da cidade e contou com a presença de ministros e do presidente Jair Bolsonaro, que foram recebidos pelo governador, o vice Lincoln Tejota, a primeira-dama do Estado, Gracinha Caiado, e pelo prefeito Roberto Naves.

Durante coletiva, o governador ressaltou a alegria da conquista tão esperada pelos goianos. “Vocês não têm ideia do que é isso hoje para o nosso Estado de Goiás. É de uma proporção inimaginável diante da logística que está sendo implantada no Estado”, afirmou.


Em fala direcionada a Bolsonaro e ao governador, o presidente do Conselho de Administração do Grupo Cosan e Rumo, Rubens Ometto, reforçou o compromisso da empresa em contribuir com a economia brasileira. “Agora, com esses trechos da Ferrovia Norte-Sul, vamos repetir a performance que temos na Rumo. A Norte-Sul valorizará as terras de quem tem uma fazenda em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins e vai expandir a fronteira agrícola do Brasil”, pontuou.

A previsão é de que em um ano e meio a ferrovia já esteja pronta para utilização. No entanto, Rubens comentou que parte do trecho será concluída em tempo menor. “Vamos terminar em poucos meses o que falta da Norte-Sul, que começou a ser construída há mais de três décadas”. O presidente ainda enalteceu a parceria público-privada, fundamental para o desenvolvimento do Brasil. “Obrigado, governador, por nos acolher neste dia de festa. Será uma honra trabalhar com o senhor e com o governador Mauro Carlesse, do Tocantins.”

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves, também gratificou o empenho e esforço do Estado e do governo federal para o desentrave da ferrovia. “Anápolis está em festa. Gostaria muito de agradecer esse grande presente de aniversário para a nossa cidade. Não tenho a menor dúvida de que isso trará muita prosperidade e desenvolvimento para Anápolis”, ressaltou.

Destaque nacional

Nesta quarta visita de Bolsonaro a Goiás, o presidente pontuou os benefícios da ferrovia, em comparação ao transporte rodoviário. “Estas obras de infraestrutura unem o Brasil, trazem o progresso, barateiam preços e fretes, diminuem o consumo de óleo diesel e os acidentes em estradas.”

Para a ministra de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, o novo modal que passará em Goiás é o “brilho nos olhos dos produtores rurais”. “Nosso grande gargalo sempre foi a logística e, agora, o produtor está vendo a esperança dele mais perto, de pôr mais dinheiro no bolso”, avaliou. Segundo a ministra, 40% do custo de um produto refere-se apenas à logística. “E isso pode ficar no bolso do produtor, que fica na cidade e faz a economia girar, principalmente, nos pequenos municípios”, completou Tereza Cristina.

Nesse sentido, Tarcísio Gomes, ministro de Infraestrutura, reiterou que a Norte-Sul será a espinha dorsal do país. “É uma ferrovia que vai interligar o Brasil. É a grande espinha dorsal. É o início de uma transformação que vai atingir o nosso setor de transportes. Vamos mudar a matriz do transporte brasileiro.”

O leilão do trecho, que vai de Porto Nacional, no Tocantins, até Estrela D’Oeste, em São Paulo, foi promovido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no dia 28 de março, e teve como vencedora a empresa Rumo S.A., do Grupo Cosan. O trecho possui 1.537 quilômetros e o prazo de concessão é de 30 anos. A empresa vencedora terá de fazer R$ 2,719 bilhões em investimentos.

Fico

Além da Ferrovia Norte-Sul, Goiás poderá contar nos próximos anos com a malha ferroviária que ligará Água Boa, no Mato Grosso, até Campinorte e Mara Rosa. A Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), também dará mais condições para o escoamento de grãos e produtos agropecuários produzidos em Goiás.

Também estiveram presentes ao evento José Luís Ferreira (diretor-presidente interino da Valec), Júlio Fontana (diretor-presidente da Rumo Malha Central e líder do Projeto Norte-Sul), Martha Seillier (secretária Especial do Programa de Parcerias de Investimentos), João Alberto Abreu (diretor-presidente da Rumo S.A.), Mário Rodrigues (diretor-geral da ANTT), Marcos Lutz (diretor-presidente da Cosan), Vivian Naves (primeira-dama de Anápolis), Marcelo Sampaio (secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura), Célio Faria Júnior (assessor-chefe da Assessoria Especial do Presidente da República); deputados federais Major Vitor Hugo (líder do governo na Câmara dos Deputados), José Nelto, Adriano Avelar, Professor Alcides, João Campos e Vicentinho Junior (este do Tocantins); os senadores Vanderlan Cardoso e Luiz do Carmo; o governador do Tocantins, Mauro Carlesse; Augusto Heleno (ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República); Onyx Lorenzoni (ministro-chefe da Casa Civil); o presidente do Tribunal de Contas dos Municípios, conselheiro Joaquim de Castro; os presidentes da Federação da Indústria do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel; José Alves Filho (Adial Brasil); além de deputados estaduais, vereadores por Anápolis e outras lideranças políticas.

Portal Goiás Agora

Deixe sua opinião

x

Veja também

Saúde ou emprego? O dilema do amianto, que fez Goiás desafiar o STF

Em novembro de 2017, o impasse sobre o amianto no Brasil parecia um capítulo prestes ...

%d blogueiros gostam disto: