Home / Mundo / Brasil / Cidades / Projeto de Lei propõe tempo máximo de espera dos usuários em pontos de ônibus de Goiânia

Projeto de Lei propõe tempo máximo de espera dos usuários em pontos de ônibus de Goiânia

De autoria do vereador Alysson Lima (PRB), o texto ainda destaca o aperfeiçoamento dos aplicativos já existentes e indenização aos usuários, caso se sintam lesados

Um projeto de lei que tramita na Câmara Municipal visa estipular o tempo máximo de espera do usuário do transporte coletivo nos pontos de ônibus da capital. De autoria do vereador Alysson Lima (PRB), o texto ainda propõe uma indenização aos passageiros que se sentirem lesados com o descumprimento da empresa.

A justificativa do projeto é que muitos usuários não se sentem confiantes em relação ao horário que os veículos passam. “Dentre as especificações do serviço, a pontualidade é o mais rechaçado pelos usuários. E isso qualifica como o principal ponto de transtorno ao usuário”, destaca o vereador.

Se for aprovado, os usuários esperarão até 20 minutos em dias normais, 30 nos finais de semana e feriados e 40 minutos em dias que apresentaram alguma situação adversa, como temporal e alagamentos. Outro ponto destacado no texto é o aperfeiçoamento dos aplicativos já ofertados pelo consórcio responsável pelo transporte coletivo junto ao cidadão e alguns órgãos públicos, como o Ministério Público.

“Eles deverão avisar os usuários sobre o tempo exato que o ônibus passará no ponto de preferência do usuário. A tecnologia está aí para isso e ferramentas já existem para que tal feito seja concretizado” pontua.

Segundo o projeto, os horários do transporte coletivo não mudaria, mesmo em períodos em que a quantidade de passageiros diminui, entre às 9h e 16h, e pelo final da noite, horários que não configuram o pico do expediente. O vereador destaca que não há justificativa aceitável para que os ônibus sejam retidos nas garagens durante esse tempo.

“Eu já cheguei a flagrar entre 500 e 600 ônibus estacionados nas garagens e quem necessitam do serviço fica prejudicado com horários, muitas vezes desproporcionais para seus compromissos. Em época de férias é a mesma coisa. Férias são só escolares, mas os trabalhadores mantêm os seus compromissos diariamente e não podem ser prejudicados pela redução de veículos nas ruas”, comenta, apontando a necessidade de acréscimo de mais 20% a 30% de veículos na frota.

Punição

Ainda de acordo com o texto, os usuários que se sentirem lesados poderão acionar o poder público para requerer indenizações. Cada caso será avaliado de forma individual, assim como o recebimento do ressarcimento.

O projeto foi aprovado na primeira votação. A segunda votação acontecerá na próxima terça-feria (3).

 

 

Câmara Municipal de Goiânia

Deixe sua opinião

x

Veja também

Sem apoio: sobre medidas contra coronavírus, Caiado se reunirá com prefeitos nesta segunda-feira (18/5) às 18h

O governador Ronaldo Caiado anunciou, na tarde deste domingo (17/5), que irá se reunir com ...

%d blogueiros gostam disto: