Home / Esporte / Geovane comenta sobre vaias da torcida: “Não caí no Goiás de paraquedas”
Geovane foi vaiado pela torcida (Foto: Rosiron Rodrigues)

Geovane comenta sobre vaias da torcida: “Não caí no Goiás de paraquedas”

Ney Franco estreou no Goiás neste domingo (11) e não conseguiu acabar com o jejum esmeraldino. Porém o treinador teve apenas dois dias para preparar o grupo. A derrota para o Vasco, por 1 a 0, serviu para fazer algumas alterações. O treinador sacou Rafael Vaz e colocou Fábio Sanches. No meio de campo a mudança foi tática. 

O treinador usou Leó Sena como primeiro volante e deixou Geovane livre para armar jogadas. Geovane não foi muito produtivo nesse cenário e no segundo tempo o treinador teve que fazer alteração tática em relação a posição do atleta.  

“Ele conversou bastante e não deu tempo de conversar ainda. Eu estava jogando de primeiro volante no começo do ano e quando muda assim temos que trabalhar em cima disso. Não é que eu fiquei perdido, mas é uma situação diferente. A partir do momento que voltou o posicionamento normal com os dois volantes eu achei que a nossa equipe voltou na partida. Ele já mostrou a forma dele de trabalhar. Que possamos assimilar o trabalho dele o mais rápido possível”, afirma Geovane.

Após o gol do Vasco – marcado por Marcos Júnior – a torcida começou a vaiar Geovane. A bola chegou para Marcos Júnior através de Pikachu, que estava mal marcado por Geovane. 

“Eu já tinha essa consciência de que dependendo do jogo eu seria cobrado. Isso aconteceu. O torcedor tem direto de cobrar. Cobrando no meio da partida eu acho meio chato. Isso não é bom para o grupo que está ali jogando. Eu sou cara trabalhador e não caí no Goiás de paraquedas. Tudo foi conquistado com muito suor. Se as coisas não estão acontecendo eu só tenho que trabalhar. Eu sei que o momento ruim vai passar. Nós vamos voltar a dar alegria para o torcedor”, afirma.

O Goiás está na 12ª colocação com 17 pontos conquistados. Após a Copa América, o clube esmeraldino ainda não conseguiu a vitória. O time alviverde já acumula derrotas para o Flamengo, Santos, Corinthians e Vasco, além dos empates com Avaí e Atlético-MG.  

“É uma situação difícil. Nós conversamos bastante durante esses dias a partir das derrotas que a gente teve. Nós conversamos bastante. Temos que trabalhar. Nós queríamos ter vencido o jogo. Nós tivemos possibilidade disso. Não aconteceu e agora temos que trabalhar. Não tem outra maneira e outro caminho. Tivemos um momento bom no início do campeonato e agora estamos tendo um momento ruim. Nós temos que manter a nossa humildade e trabalhar. Somente assim os caminhos das vitórias vão voltar”, finaliza.  

Fonte. Sagres Online / Luara Ariel

Deixe sua opinião

x

Veja também

Dragão – “Vamos precisar de jogadores experientes e com identificação com o clube”, afirma Adson Batista

O Atlético encerrou 2019 com chave de ouro. Campeão do Goianão e com acesso para a Série ...

%d blogueiros gostam disto: