Home / Mundo Gospel / Dono de boate se converte ao cristianismo e deixa as drogas para levar água a milhões de pessoas na África

Dono de boate se converte ao cristianismo e deixa as drogas para levar água a milhões de pessoas na África

Um ex-dono de boate virou um cristão que se importa com os menos favorecidos. Seus projetos de caridade ajudaram a trazer água potável para mais de 8 milhões de pessoas. Scott Harrison é o fundador e CEO da instituição “Water” (água), sediada em Nova York (EUA).

Ele publicou recentemente um livro chamado “Thirst” (sede), onde ele conta como foi criado em um lar cristão piedoso, seus vários anos como promotor de boate em que ele se entregava a muitos vícios e evitava a religião e sua decisão de retornar às suas raízes cristãs.

Ele também diz como fundou uma instituição de caridade que promove o fornecimento de água limpa para as muitas áreas do mundo. “Eu estava tão ansioso para compartilhar a história da Water, uma história sobre pessoas comuns que se envolveram e trouxeram o melhor de si, seu tempo, sua criatividade, sua paixão, sua generosidade para esta questão”, disse Harrison em entrevista ao The Christian Post.

Fundada em setembro de 2006, a instituição apoia projetos de água limpa em todo o mundo, fornecendo água potável para mais de 8 milhões de pessoas por meio da contribuição de aproximadamente 1 milhão de doadores em todo o mundo.

Harrison explicou que ele queria apenas compartilhar a história sobre sua instituição, mas também encorajar outros que erraram no passado, mas que querem fazer diferente no futuro.

“Eu era viciado em drogas, viciado em pornografia, cigarros, jogos de azar e bebidas, e consegui realmente transformar minha vida voltando à minha fé e me afastando de uma vida de vício e egoísmo”, disse Harrison.

Raízes cristãs

Harrison deixou sua casa cristã aos 19 anos, terminando em Nova York, onde se tornou um promotor de boate que muitas vezes se envolvia em beber, usar drogas, fumar e outros vícios. Depois de anos vivendo esse estilo de vida luxuoso, cercado de grandes nomes e festas constantes, ele sentia o que chama de “dormência”.

“Meu corpo estava dormente. Minha consciência estava cozida”, escreveu Harrison. “Demorou cerca de dez anos para conseguir, mas de alguma forma eu consegui me tornar a pior versão de mim mesmo”.

Com a ajuda de seus pais, Harrison retornou às suas raízes cristãs. De lá, ele decidiu que tinha que deixar a vida da boate e procurou fazer algo melhor. Isso veio na forma de trabalhar por dois anos com a instituição de caridade Mercy Ships, que têm sede no Texas e envia grandes navios hospitalares para lugares carentes.

 

 

Fonte. Guiame

Deixe sua opinião

x

Veja também

Estado Islâmico será “apagado do mapa em questão de horas”, diz Trump

Radicais do grupo terrorista estão cercados por uma coalizão de curdos e sírios liderada pelos ...

%d blogueiros gostam disto: