Home / Mundo / Brasil / Audiência leva aborto a ser um dos assuntos mais comentados no Twitter

Audiência leva aborto a ser um dos assuntos mais comentados no Twitter

Mobilizados pela audiência que discute hoje (3), no Supremo Tribunal Federal (STF), a liberação do aborto até a 12ª semana de gestação, usuários do Twitter estão reunindo milhares de postagens com a hashtag #NemPresaNemMorta, que já figura entre os tópicos mais populares da rede social no Brasil.

sessão do STF, de caráter público, foi instalada em razão do ajuizamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, de iniciativa do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e do Anis – Instituto de Bioética, e terá continuidade na próxima segunda-feira (6), contando com a participação de diversos especialistas no assunto.

Atualmente, a legislação brasileira considera legal o aborto em três circunstâncias: quando a gravidez resultar de um estupro, no caso de fetos anencéfalos ou caso a gestante esteja correndo risco de vida. A audiência foi convocada pela ministra Rosa Weber, relatora da ADPF no tribunal.

Entre as publicações dos internautas no Twitter, encontram-se reproduções de falas dos expositores convocados pela Corte e opiniões favoráveis à descriminalização do aborto no país. “Educação para decidir, contraceptivos para prevenir, aborto legal e seguro para não morrer!”, escreve uma jovem.

“Homens contra o aborto, algumas sugestões: não abortem quando engravidarem; usem camisinha sempre para não engravidarem as moças”, declara, de forma mais contundente, outra internauta, com quase 12 mil seguidores.

Contrário à descriminalização, um estudante de engenharia de 22 anos, deixa claro seu posicionamento: “Diga não ao assassinato de fetos humanos indefesos!”

Mais ponderado, outro internauta afirma que a questão do aborto é “delicadíssima”. “Não é algo simplista de ’SIM! Meu corpo minhas regras’ e nem de ’NÃO! É assassinato e atentado contra a fé cristã’”.

Entre a parcela que admite ser contrária à mudança na lei, outra hashtag, a #AbortoÉCrime, também reuniu diversos posicionamentos. Uma delas pertence ao filósofo Francisco Razzo, autor do livro Contra o Aborto. Ele avalia que os principais argumentos a favor do aborto expostos no STF presumem que a lei deve se adequar aos fatos. “Mulheres já praticam o aborto, logo deve ser um serviço garantido pelo Estado. Isso é como tentar revogar a lei da gravidade porque pessoas pulam de prédios”, disse.

Uma imagem com os dizeres “Como pode uma bactéria ser considera vida em Marte e uma batida de coração não ser considera vida na Terra?” também tem circulado na rede.

Durante a abertura da audiência de hoje (3), a presidente do STF, Cármen Lúcia, ressaltou que todas as opiniões são legítimas e devem ser ouvidas. “Ainda que para depois divergir. Só é possível divergir se conhecer”, acrescentou.

 

Agência Brasil

Deixe sua opinião

x

Veja também

Lockdown: Witzel fala em bloqueio de estradas e circulação restrita no RJ.

Wilson Witzel (PSC), governador do Rio, enviou, ontem à noite, um ofício ao MP-RJ (Ministério ...

%d blogueiros gostam disto: